sábado, 22 de setembro de 2012

Quando tudo dá errado alguma coisa brota do nada e piora

algumas postagens atrás eu contei pra vocês que eu tive de me mudar por conta de uma série de acontecimentos desastrosos, dignos de um pastelão mexicano, que se sucederam na pior ordem possível. Prometi que iria explicar tin-tin por tin-tin a minha desgraça e, como promessa é dívida (as vezes não paga!), montei esse pequeno "dossiê" de como eu cheguei ao fundo do poço e além.

Eu e minha família começamos a ir pro buraco na metade de 2009. Nós morávamos no Cinturão Verde, na casa que foi da minha avó, pagando um aluguel bem baixo em comparação ao tamanho da casa e tal. Mas ela resolveu vender a casa e tivemos que sair. 

O primeiro golpe. 

Procuramos por uma porrada de casa e o melhor que arranjamos foi a porcaria de um barraco de 5 cômodos (2 quartos, sala, cozinha e banheiro) subindo a rua do Polivalente. A casa era tão ruim que gastamos um dinheirão pra arrumar um monte de coisas na esperança do dono cumprir o trato de descontar os gastos no aluguel. Como você já deve imaginar, o filho da puta não descontou muita coisa e por um tempo nós vivemos numa pindaíba de dar dó.

Foi morando nessa casa que conhecemos a pessoa que iria começar a destruir de vezes nossas vidas - o ex-namorado da minha irmã.

Na boa, minha mãe tem um coração tão grande que se deixa enganar por todo mundo. Já perdi as contas de quantas vezes nos ferramos quando ela estava tentando estender a mão pra um completo desconhecido. Esse tal namorado por algum motivo que eu desconheço (minha mãe sabe que se me contar o que elas andam aprontando eu meter o bedelho onde não sou chamado e estragar a festa) foi morar lá em casa. Ele prometia uma porrada de coisas, inclusive ajudar nas despezas e - olha o naipe do cara de pau - dar uma casa pra minha mãe.

Velho, qualquer idiota percebe de cara que tem alguma coisa errada aí, né?  Se o cara está morando com a gente é porque ele não tem casa. Como uma pessoa sem casa dá um casa e a troco de quê??? Mas nós não somos qualquer idiotas, somos idiotas pobres, com dívidas e desesperados. Aí é fácil levar qualquer um no bico.

A medida que o tempo ia passando (começo de 2010) o cara ia ficando mais folgado, mais mentiroso e mais endividado, já que ele abria conta em tudo quanto é lugar. No começo ele até dava um pouco de dinheiro pra ajudar, mas isso foi se tornando um ato cada vez mais raro até que cessou de vez. Minha mãe teve que trabalhar triplicado pra sustentar uma boca a mais em casa e os problemas com a casa voltaram a aparecer.

Em abril de 2010 meu avô foi assassinado a facadas dentro da sua própria casa. A família ficou totalmente abalada e pra piorar um pouquinho a situação eu fui infectado pelo vírus da Dengue, enquanto ainda estava estudando no SENAI. O mundo caindo em nossas cabeças em forma de desgraças e dívidas e o filho da puta lá mentindo pra caralho pra todo mundo.

No meio do ano o dono da casa pediu pra que saíssemos (acho que era pra colocar uns parentes dele morando lá õ_O). E lá fomos nós procuramos outro lar. Dessa vez a busca foi rápida. Vendo que a situação estava ficando pior pro lado dele (todo mundo já questionava as suas promessas e os detalhes duvidosos da sua vida) o maldito namorado arrumou uma casa rapidinho. O bairro era o São Sebastião. Uma casa grande, com 3 quartos, garagem, mas.... R$450,00! Tenta imaginar 2 pessoas sustentando 6 dentro de uma casa (minha mãe, meu padrasto, minha irmã, meu primo, O Mentiroso e eu) com dois salários mínimos e pagando um aluguel desse tamanho. Inevitavelmente ia dar merda.

Nessa época arrumamos um computador. Ah, o milagre do mundo em uma caixinha. Todo mundo tão feliz que esquecia que existiam vários problemas acontecendo dentro de casa. E o computador trouxe uma mudança radical na minha casa. Ele foi o desencadeador da separação da minha mãe e meu padrasto. É o seguinte: minha mãe aprendeu a fuçar na web, logo conheceu gente muito mais interessante do que meu padrasto e percebeu que estava vivendo todo esse tempo com a pessoa errada. Ela começou a pensar em separação e o filho da puta mentiroso já armou mais uma parte de seu golpe jogando seu tio na história como se ele fosse um príncipe encantado que cavalgava um alasão branco.

Sim, minha mãe se separou e ficou um tempo com o tio do dito cujo, mas foi pouco. O cara era tão mentiroso e salafrário quanto o sobrinho e só queria se aproveitar da nossa boa vontade. Já calejados pelo outro, em questão de semanas caímos fora dessa e, de quebra, finalmente expulsamos o encosto que estava em nossas vidas. Isso foi lá pelo meio do ano. Nesse momento a situação era a seguinte: eu e minha mãe sustentando a casa com 1 salário e meio. O ano acabou e o SENAI também. Naquele momento era só minha mãe.

Arrumar emprego é uma coisa complicada, rapaz, mesmo quando se tem alguma experiência (pelo menos pra isso a maldita Zanatta serviu ¬¬'). Fiquei 6 meses parado. Nesses 6 meses as contas foram só se acumulando. O meu padrasto começou a pagar pensão, mas nessa altura do campeonato as contas já estavam se transformando numa bola de neve prestes a rolar do barranco.

Eis que surge a Clinica São Lucas e eu finalmente estou empregado. Minha mãe sempre foi muito de guardar os problemas pra ela e carregá-los sozinha. Pra mim tudo estava na mais perfeita ordem, contas finalmente em dia, golpistas longe... Uma maravilha. Atolei em contas. Eu dava conta de pagar todas, mas minha mãe estava com uma dificuldade extrema em manter as de casa em dia e continuava sem abrir comigo. Resultado: estávamos na merda e eu achando que o mundo finalmente tinha parado de zuar com a minha cara.

Tudo isso e minha mãe lá, navegando nas internets. Papo online vai, papo online vem, ela acabou conhecendo uma porrada de caras... Nenhum prestava. Eu tava sempre ali, alerta pra ela não (se) meter com quem não devia (não resisti ao trocadilho infame - desculpa mãe ^^'). De repente, aparece um homem pra casar. O cara tinha um bom serviço, começou a frequentar lá em casa e ajudar a gente a desafogar da lama de dívidas. Rápido veio o assunto de casamento. Parecia tudo muito bom, mas é a minha vida né, gente, e nada dá totalmente certo por aqui. Quanto mais empolgados com o assunto todo mundo ficava, mais problemas iam aparecendo. Deu um rolo, esse rolo gerou outro rolo, sendo que o primeiro resolveu se embolar com o segundo e pá... Foi tudo por água abaixo.

Minha mãe ficou sem pretendente e com um problemasso. O filho da puta, há um tempo atrás, tinha dito pra ela renovar o guarda-roupas dela que ele iria pagar. O namoro acabou, ele foi embora e a conta feita em roupas ficou pra gente pagar. Achou pouco??? Agua, luz, internet... Tudo atrasado. Chegaram a cortar tudo (não ao mesmo tempo!) e nós tivemos que nos virar pra pagar a conta e deixar outras dependuradas pra não ficar na pior.

Eu não tenho nem como falar que sou rico de saúde já que fico doente umas 6 vezes no ano u.ú


Fechamos o ano no vermelho. Aluguel já passava de R$1.000,00 os atrasados. Agua, luz, internet, juntando tudo devia dar quase mil também. Como vocês sabem, eu não sou a pessoa mais inteligente e pró-ativa do mundo e cheguei a ser quase demitido duas vezes em menos de um ano (hehehe... mas o povo me ama e eu continuo la o/). E então o golpe de misericórdia. A dona da casa, que mora numa cidade que eu não faço a mínima ideia do nome, pediu pra que saíssemos, mas dessa vez ela veio com ordem judicial e tudo. A gente já estava nesse cabo de guerra a um tempinho, mas pula daqui, pula dali conseguíamos pagar mais um mês de aluguel e deixar os outros não sei lá quantos pra trás.

Cansamos. Procuramos por várias casas, mas ninguém queria alugar. Pra ser sincero, eu também não alugaria uma casa pra família que deve meses e mais meses. A sepultura estava ali aberta, prontinha pra gente pular de mãos dadas. Mas quem disse que a gente desisti??? Conseguimos uma casa (depois de umas seis tentativas, sem brincadeira) e eu me mudei.

Hoje tudo está (de verdade dessa vez, sem falsa impressão) tudo na melhor situação possível. Ainda temos contas pra pagar, mas pelo menos o dinheiro está dando pra cobrir tudo.

Depois de ler isso vocês acreditam que ainda tem gente que me chama de "playboy"??? Na boa, se eu sou playboy o resto de Três Corações é prole do Eike Batista õ_õ!

Eu rolei da minha escada, caí do penhasco
Que mentalizei
Eu nasci no dia errado, no táxi errado
Que eu não paguei, que eu não paguei...
- 2ois

2 comentários: